Polícia Civil recebe premiação do Governo do Estado pelo quantitativo de armas de fogo apreendidas em 2018.

Carolina Gomes – Ascom SSP

Na manhã desta segunda-feira, 11, o Governador do Estado do Maranhão, Flávio Dino, juntamente com o Secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, o Delegado Geral de Polícia Civil, Leonardo Diniz e o Comandante Geral da Polícia Militar, Cel. Jorge Luongo estiveram reunidos em solenidade no Palácio dos Leões para premiar a classe policial pelas apreensões de armas de fogos apreendidas durante o ano de 2018.

A Medida Provisória nº 219, foi criada e instituída pelo Governador Flávio Dino em março de 2016 e convertida na Lei Estadual nº. 10.442/2016, e devidamente regulamentada pelo Decreto nº. 31.564/2016. Trata-se de uma premiação aos servidores, policiais civis e militares pela apreensão de armas fogo.

A Medida Legislativa valorizou o policial, pois o objetivo principal dessa valorização foi a diminuição notadamente do uso de armas de fogo, tais como homicídios, latrocínios e lesões corporais, que compõe o CVLI – Crimes Violentos Letais e Intencionais.

Passados os 12 meses do ano passado, o governo do estado realizou a quantidade de armas apreendidas, que foram contabilizadas no mês de fevereiro deste ano de 2019. Dentre os vencedores estavam o Delegado de Polícia Civil – LEONARDO DE CARVALHO MOREIRA, com 47 armas; o Investigador de Polícia Civil – MERVAL SILVA AZEVEDO FILHO, com 47 armas e o Investigador de Polícia Civil – KLEUSSON DA COSTA SILVA, com 39 armas de fogo.

Já para a PM foram agraciados o Sargento PM JOELSON LIMA DA ROCHA, com 90 armas; o Sargento PM MANOEL PACHECO DE AZEVEDO NETO, com 88 armas e o Solado PM KLEYSON LEONAM COSTA LIMA, com 85 armas.

Durante solenidade, Jefferson Portela falou do reconhecimento do Governo do Estado, aos homens e mulheres na retirada de armas de fogo de circulação de janeiro a dezembro de 2018. Foram 1.427 armas de fogo apreendidas por policiais militares e civis.

“Sabemos que este resultado salva-vidas e impede a prática de outros crimes, pois essas armas estavam em mãos ilícitas para a prática de crimes. Muitas vidas foram salvas, onde muitos homicídios deixaram de acontecer por estas ações dos policiais. Esse reconhecimento é muito importante”, frisou.