Polícia Civil promove ações em comemoração ao dia Internacional da Mulher no Maranhão

Durante esta semana marcada em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, criado em razão da luta contra o preconceito e pela igualdade de direitos entre homens e mulheres que teve início no começo do século XIX, a Polícia Civil do Maranhão, orientada pela Delegacia Geral de Polícia Civil e  coordenadas pela Superintendência de Polícia Civil do Interior (SPCI) e da Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC) por meio das Delegacias Especiais da Mulher executou ações, incursões e autuações preventivas no combate à violência conta a mulher em várias cidades do Maranhão.

As ações foram realizadas dentro de uma operação batizada “E agora José? ” que por meio de palestras preventivas, panfletagem e visitas a mulheres que estavam com medidas protetivas de urgência determinadas pela justiça, visando conscientizar a população, em especial, as mulheres sobre a importância de pôr um basta à violência, enfatizando que aquilo que atinge frontalmente a mulher, que faz se sentir menor, ridicularizada, constrangida ou ameaçada é violência.

A campanha foi apresentada em São Luís e nas dezoitos regionais da Polícia Civil do Maranhão, como nas cidades de Santa Inês, Presidente Dutra e Balsas, tendo o respaldo da Entidade das Nações Unidas para Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres, a ONU Mulheres, que define ações prioritárias no âmbito brasileiro, como luta contra a violência doméstica e de gênero e a igualdade de direitos da mulher no trabalho.

Prisões e Apreensões

Ainda dentro da operação “E agora José? ”, a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão, apresentou por meio de uma coletiva na tarde desta quarta-feira (8) o balanço de tal operação policial que culminou na última segunda-feira (6) e terça-feira (7) na prisão de 40 pessoas e na apreensão de um menor, na capital e no interior do estado. Na cidade de Itapecuru Mirim, a delegada Tainara Mendes cumpriu mandado de busca e apreensão domiciliar na residência de uma enfermeira aposentada identificada como Maria Auxiliadora Sousa, local este onde há muitos anos ocorria a prática de abortos. Ainda foi cumprindo naquela cidade, um mandado de prisão temporária contra Antônio Silva, por ter abusado sexualmente de sua filha e outro mandado de prisão preventiva foi executado para Luís de Sousa, que abusou sexualmente de sua enteada na cidade de São Mateus.

Já na cidade de Pedreiras, equipes da Polícia Civil lotados na 14ª Delegacia Regional, cumpriram um mandado de prisão preventiva em desfavor de Leandro Rodrigues das Chagas, pelo cometimento de crime de estupro de vulnerável em face de sua enteada de 13 anos de idade. Em outra ação, desta vez na cidade de Timon, Valdeci Alves da Silva foi preso em flagrante por agentes civis, pois o mesmo atirou com uma batebucha contra sua esposa, alvejada no abdômen, um que caracteriza como uma tentativa de feminicídio.

No município de Codó, a operação ainda apreendeu Edvan Brandão Santos, autuado por tentativa de homicídio contra sua companheira e prendeu na cidade de Pinheiro um homem acusado de estuprar uma senhora de 72 anos de idade.

As cidades de Turiaçu, Caxias, Chapadinha, Coelho Neto, Açailândia, Imperatriz, Davinópolis e Viana também foram alvos da operação que resultou em várias prisões.

Em São Luís, uma megaoperação da Polícia Civil conseguiu prender Jefferson Raimundo Vaz Correia, acusado de cometer um roubo e um estupro no último dia (20) de fevereiro nas proximidades da reserva do Itapiracó, além dele, foram presos Wanderson Kleiton Alves, Márcio Gledson Oliveira de Sousa, Clenilson Santos e Ronivaldo Rodrigues dos Santos, todos relacionados a violência contra a mulher.

O balanço foi apresentado pela Delegada Geral adjunta da Polícia Civil Adriana Amarante; o Superintendente de Polícia Civil na Capital (SPCC) Armando Pacheco; o Superintendente de Polícia Civil no Interior (SPCI) Dicival Gonçalves; o Delegado Assistente da SPCI, Jalingson Freire e do Delegado Marconi Matos, da Delegacia de Roubos e Furtos.

Ao final da coletiva, delegada Adriana ainda frisou que a operação deve continuar em curso até o próximo dia (10) no intuito de inibir ações violentas de qualquer fim contra a mulher. “Essas prisões não são apenas referentes ao dia Internacional na Mulher, a Polícia Civil vem travando lutas constantes para combater a violência contra o público feminino em todo o Maranhão” ressaltou Adriana Amarantes.