Polícia Civil apreende drogas avaliadas em R$ 250 mil

A Polícia Civil, por meio da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (Senarc), apresentou, durante entrevista coletiva, na manhã desta segunda-feira (15), por volta das 10h, na Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP), Manoel Murilo Alves Miranda, suspeito de tráfico de drogas. Com base em denúncias ele foi preso, no bairro do Turu, com cerca de 70 kg de maconha e 300g de crack. Os entorpecentes estão avaliados em aproximadamente R$ 250 mil.

Com ações de combate ao tráfico de drogas no estado, a Senarc prendeu Manoel Miranda, no sábado (13). A operação teve início com uma denúncia no aplicativo do WhatsApp do Senarc ( 9-9163-48990). A partir destas informações foi realizado um serviço de monitoramento. Na ação, os policiais surpreenderam o suspeito Manoel Miranda na sua residência com a droga.

Descapitalização

O delegado geral informou que Manoel Miranda iria revender a droga para ser distribuída nos bairros do Turu, Parque Vitória, Olho d’Água e Divinéia. O delegado geral disse, ainda, que o cidadão, ao realizar a denúncia pelo WhatsApp da Senarc, contribui com o trabalho da polícia.

“Todas as vezes que se apreende um grande quantitativo de drogas nós não apenas descapitalizamos a organização criminosa, mas também enfraquecemos o tráfico de entorpecentes. Quando se interrompe essa cadeia nociva, se previne a ocorrência de outros crimes”, ponderou o delegado geral.

Já o superintendente da Senarc, Carlos Alessandro, ressaltou que Manoel Miranda é homicida e estava realizando o tráfico de drogas na região onde mora. O delegado disse, ainda, que “a partir do momento que foi inaugurado o WhatsApp da Senarc, no dia 11 de abril, a Senarc já realizou um considerável número de apreensões e prisões. Neste curto espaço de tempo, já conseguimos apreender cerca de 200 kg de substâncias entorpecentes, seis armas de fogo e 44 pessoas foram presas”, acentuou.

O delegado adjunto da Senarc, Waldenor Viegas, adiantou que Manoel Miranda estava em liberdade condicional e seria integrante de uma facção criminosa da Ilha. O suspeito teria sido preso em 2013, pelo crime de roubo. Ainda de acordo com o delegado, também neste período quando já cumpria pena, ele teria praticado no interior do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, um homicídio contra um rival de facção.

Após ser apresentado na SSP, Manoel Murilo Alves Miranda retornou para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde permanecerá à disposição da Justiça para responder pelo crime de tráfico de entorpecentes.

Mauro Wagner – Ascom SSP