SENARC INTERCEPTA CARRETA E APREENDE APROXIMADAMENTE 80 KG DE MACONHA EM ESTREITO

A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA) está dando continuidade às ações de combate ao tráfico de drogas no estado. Na madrugada desta segunda-feira (30), a Superintendência Estadual de Repressão ao Narcótico (Senarc) apreendeu 69 tabletes de maconha tipo Skank no município de Estreito, localizado a 750 Km de São Luís.

De acordo com o delegado Carlos Alessandro, superintendente da Senarc, a carga de entorpecentes está avaliada em R$ 500 mil e estava sendo transportada em uma carreta Volvo de placa PQT-2096 do estado de Goiás.

Os policiais da Senarc já trabalhavam na região há cinco dias, com intuito de prender os transportadores e receptadores do entorpecente. A droga foi apreendida quando os agentes da segurança pública maranhense interceptaram o veículo frigorífico de grande porte que fazia o transporte. Ela estava escondida entre os produtos frios. Considerada ousada, a estratégia é constantemente adotada por criminosos que têm a intenção de burlar pontos de fiscalização instalados em estradas que cortam o país.

O motorista da carreta, identificado como Ruy Rodrigues Só Bruno (39) e o passageiro Elisaldo Dourado Abreu (30), foram presos quando descarregavam a droga em um veículo de passeio onde estavam Fernando Lima Silva (18) e José de Sousa Castro Rodrigues (28), que também foram presos.

Além de responder a processo por tráfico de drogas, Eliseudo Dourado – passageiro da carreta – era foragido da justiça e tinha em seu desfavor um mandado de prisão preventiva pelo crime de roubo, expedido pela Comarca de Justiça de Estreito. Ele ainda é suspeito de integrar uma quadrilha especializada em roubos a bancos do Sul do Maranhão.

Todos os presos foram levados para a 10ª Delegacia Regional de Imperatriz, onde foram autuados por tráfico de drogas e associação para o tráfico. Conforme o superintendente Carlos Alessandro, eles permanecem custodiados na sede do distrito policial, mas até o final desta segunda devem ser transferidos para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde permanecerão à disposição da justiça.

Comércio rentável

Conhecida como “supermaconha”, a Skank é produzida em laboratório e o valor recebido por sua comercialização pode ser de cinco a dez vezes maior do que o da maconha pura, segundo autoridades policiais. Comparado a esta, que tem de 2 a 3% de THC (substância entorpecente), a Skank apresenta um teor bem mais elevado da substância, variando entre 17 e 20%.

Resultados positivos

À frente da Senarc há apenas 21 dias, o superintendente Carlos Alessandro já apresenta resultados positivos na gestão da especializada. Neste período, os policiais, coordenados pelo delegado, já apreenderam quase 200 kg de droga – entre maconha, cocaína e crack; prenderam 18 pessoas por tráfico e apreenderam cinco armas de fogo.

Aleff Garcia / Ascom SSP