SSP desenvolve política pública de segurança na Região Tocantina

 

Objetivando desenvolver políticas públicas de segurança voltadas para a criação de práticas que contribuam para a prevenção e redução da criminalidade e insiram a comunidade no contexto de resolução das problemáticas de segurança, a Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP), por meio da Secretaria Adjunta de Desenvolvimento e Articulação Institucional (Sadai) realizou no período de 18 a 22 de junho, o Curso Nacional de Promotor de Polícia Comunitária (CNPPC) na região Tocantina.

Ao todo foram qualificados, nesta fase, 50 profissionais das Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros, Agentes de Trânsito e lideranças comunitárias dos municípios de Imperatriz, Estreito, João Lisboa e Açailândia. O curso é voltado para qualificar profissionais do sistema de segurança pública estadual e municipal para que em parceria com a comunidade possam identificar priorizar e implementar soluções criativas para o controle e combate ao crime e a violência nos espaços urbanos.

Durante a cerimônia de encerramento realizada na última sexta-feira, 22, no Colégio Militar Tiradentes – Unidade II, localizado na Rua Antonio Miranda, S/N- Vila Redenção (Imperatriz), local da capacitação, o secretário adjunto de Desenvolvimento e Articulação Institucional da SSP, tenente-coronel Antonio Roberto Silva, comentou sobre a importância da qualificação destes profissionais para a sociedade. “Estamos ampliando as ações para o interior do Maranhão. O intuito é que cada promotor de polícia comunitária esteja apto a desenvolver ações que efetivem a criação dos territórios de Paz. Esses locais deverão sempre conservar o bem comum”, destacou.

A capacitação é fruto de um convênio entre a SSP e o Ministério da Justiça, por meio da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). Além da turma de Região Tocantina, o Curso de Promotor de Polícia Comunitária já formou também, outras três turmas no mês de agosto de 2010 em São Luis. Estão previstas ainda a capacitação de profissionais de segurança das cidades de Grajaú, Santa Inês e São Luis. A previsão é que as aulas iniciem já no próximo mês de agosto.

Conteúdo Programático- A carga horária total do curso foi de 44 horas/aulas. No conteúdo programático temas voltados para a construção e busca da paz social foram abordados durante a capacitação. “Gestão pela qualidade na Segurança Pública”; “Polícia Comunitária e Sociedade”; Direitos Humanos”;  “Mediação de Conflitos e demais meios de resolução pacífica de conflitos e a polícia comunitária” fazem parte da lista de disciplinas.  A capacitação também qualificou os profissionais a atuarem na mobilização social e  na estruturação dos Conselhos Comunitários. Os profissionais ainda receberam noções de relações interpessoais.

Além do papel de construção de uma sociedade melhor, a Polícia Comunitária ainda exerce a função de mediadora entre o poder público e a sociedade. “O policiamento comunitário é a ação de policiar junto à comunidade. Nesta nova filosofia o Estado e os cidadãos trabalham juntos para solucionar os problemas existentes em cada localidade. Juntos os dois agentes impedem que o crime atinja limites intoleráveis. Todas as ações são focalizadas na prevenção”, frisou o secretário adjunto da SSP.

Outras ações – Ainda durante a realização do CNPPC, o secretário adjunto de Desenvolvimento e Articulação Institucional aproveitou a ocasião para reunir lideranças comunitárias a fim de discutir a criação e o fortalecimento de Conselhos Comunitários de Segurança (CONSEGs). No encontro foram apresentados as propostas para a implementação dos Conselhos na cidade. Os CONSEGs são compostos por lideranças comunitárias de um mesmo bairro ou municípios vizinhos que se reúnem voluntariamente e após um curso de qualificação discutem, analisam e planejam soluções de problemas relacionados à segurança. Além destas ações, os CONSEGs promovem, ainda, diversas atividades, entre elas, a elaboração de campanhas educativas voltadas para a redução da violência.

Estiveram ainda presentes na cerimônia de encerramento, a delegada de Polícia Civil Virginia Loyola, do 4º Distrito Policial de Imperatriz; tenente-coronel Arquimedes Silva Brito, comandante do 12° BPM; o 2° tenente Carlos André dos Santos Silva, representando o tenente-coronel Sandro Luís Silva Saraiva, comandante do 3° GBM; José Ribamar Alves Soares, Superintendente Municipal de Trânsito e Transportes de Imperatriz; Kátia Luíza Brito, coordenadora pedagógica do Colégio Militar Tiradentes, representando o Capitão Alan Camelo Ferreira, Diretor de Colégio Militar Tiradentes, além militares e lideranças comunitárias.